Decocção: O que é e como fazer

Apesar do nome estranho, a decocção significa simplesmente fervura.

Geralmente você irá ler muito em sites e livros que tratam de plantas medicinais.

A decocção é uma das inúmeras formas existentes para a extração dos princípios ativos de uma planta medicinal.

A escolha da técnica de extração dos princípios ativos de uma erva vai depender dos objetivos finais e também da erva.

Por mais estranho que pareça, podemos dizer que o ato de fumar, por exemplo, é uma das técnicas, mas não é aconselhada pelo fato de que a fumaça faz mal ao nosso corpo.

Como fazer a decocção de uma planta medicinal

Já que decocção significa ferver uma planta até obter seus princípios ativos, então para fazer a decocção basta ferver a planta.

Usa-se a fervura de algumas partes específicas da planta, normalmente das partes mais duras que precisam de mais tempo para a extração de seus princípios ativos.

Normalmente fervemos raízes, caules, sementes, cascas, etc.

Mas vale ressaltar que só faz sentido ferver as partes mais duras de uma planta quando lá estão os princípios ativos, por isso não adianta fazer a decocção de uma raiz, por exemplo, de qualquer planta.

Há algumas em que os princípios ativos estão nas folhas ou flores.

Para fazer a decocção basta:

  • cobrir os vegetais com água;
  • levar a fogo brando por 15 a 20 minutos aproximadamente;
  • Depois basta desligar o fogo e deixar tampado até esfriar.
  • Basta coar e já estará pronto.

Outras formas existentes

Como dito anteriormente existem diversas formas de extração dos princípios ativos de uma planta, além da decocção há também:

Algumas ervas que devem ou podem ser feitas por decocção

Algumas ervas tem mais de uma possibilidade, outras não. Veja algumas que podem/deve ser feitas por decocção

Abóbora

Decocção da polpa: diarreia e gases

Aipo

Decocção das raízes: diurético, depurativo, carminativo, artrite, reumatismo, cálculos biliares

Alcachofra

Decocção das folhas e raízes: diurético, distúrbios hepáticos, varizes, reumatismo, combate anemia, etc

Alecrim de jardim

decocção das folhas: digestivo, gases, febre e cansaço

Alface

decocção: insônia, calmante e intestino

Alfavaca

Decocção das folhas: boca e garganta

Alho

Decocção: vermes

Amoeira

Decocção da casca e raízes: dor de dente, estômago, intestino, vermífugo.

Angélica

Decocção das folhas, flores e sementes: diarreia.

Aroeira

decocção da casca e folhas: garganta, feridas, inflamações em geral.

Arroz

decocção: colite, enterite, infecção intestinal

Arruda

decocção das folhas para lavagens: inflamação nos olhos

Avenca

decocção das folhas: gripe, tosse, rouquidão, bronquite, regula a menstruação.

Boldo-do-chile

Decoccão das folhas: cálculos biliares, distúrbios estomacais e hepáticos.

Cáscara sagrada

decocção da casca: fígado, estômago, intestino, laxante, hemorroidas

Chapéu-de-couro

Decocção das folhas: reumatismos, infecções urinárias, dores, artrite, diurético, depurativo.

Cebola

decocção: infecções intestinais, prisão de ventre.

Cenoura

decocção: rouquidão e tosse

dente-de-leão

decocção da raiz: depurativo, inctericia, afecções o fígado

Guaco

decocção das folhas: doenças respiratórias e da garganta

Hamamélis

decocção da casca: diarreia

Morango

decocção da raiz: inflamações na boca e garganta, intestino, diurético e vermífugo.

Sabugueiro

decocção da casca: estomatite, inflamação na boca, tosse

FONTE

Apostila de fitoterapia USP – link http://stoa.usp.br/briannaloch/files/-1/14187/Apostila-de-Fitoterapia-Preparacao-e-Usos-de-Ervas.pdf