Óleo Essencial

  • por

O óleo essencial é um composto que tem extração e plantas.

Eles conseguem capturar o aroma, bem como o sabor das plantas, ou sua “essência”.

Estes compostos aromáticos únicos dão conferência a cada óleo essencial a sua própria essência específica. 

São obtidos através de um processo de destilação (por meio do vapor e/ ou água) ou metodologias mecânicas, como a prensa em frio.

Assim que são extraídas as substâncias químicas aromáticas, têm combinação a um óleo responsável por transportá-lo, a fim de criar um elemento pronto para ser usado.

O modo como os óleos são produzidos é bastante importante.

Isto porque aqueles que passam por procedimentos químicos não fazem um óleo essencial totalmente verdadeiro e puro.

Uso do óleo essencial

O óleo essencial é muito usado em aromaterapias, um formato da medicina alternativa que atua com extratos de plantas para apoio da saúde e bem-estar.

Eles são muito comuns na prática de aromaterapia, em que têm inalação por diversas metodologias.

Não devem ser consumidos.

As substâncias químicas nos óleos podem ter interação com o corpo de diversos modos.

Ao ter aplicação na pele, determinados produtos vegetais químicos têm absorção.

Alguns métodos de aplicação, portanto, podem apresentar uma absorção melhor.

A aplicação com calor ou em fragmentos diferentes do corpo são exemplos. 

Inalar os aromas dos óleos pode causar o estímulo das áreas do sistema límbico, fazendo parte da região cerebral que promove um papel essencial nos comportamentos, emoção, olfato e melhora da memória a longo prazo.

Esse sistema límbico, de forma muito curiosa, está envolvida na composição das memórias.

Isso pode acabar explicando a razão pela qual cheiros familiares podem acabar desencadeando emoções e memórias.

O sistema límbico também é capaz de controlar diversas funcionalidades fisiológicas da inconsciência, como o simples fato de respirar, a frequência cardíaca e a pressão arterial.

Há quem diga que os óleos essenciais podem produzir uma ação física no organismo, mas não existem ainda estudos confirmando.

Tipos de óleo essencial

Há mais de 90 tipos do óleo essencial com benefícios potenciais para a saúde.

Os principais são:

  • hortelã-pimenta: utilizado para o aumento de energia e ajuda no processo de digestão;
  • lavanda: utilizada para o alívio do estresse;
  • Alecrim: bom para queda de cabelo
  • sândalo: utilizado para calmaria dos nervos e auxílio do foco;
  • bergamota: para a redução do estresse e melhoria da pele;
  • rose: para reduzir o organismo ansioso e melhorar o humor;
  • camomila: para relaxar e melhorar o humor;
  • ylang-ylang: para tratamento de dores de cabeça, náuseas e condições problemáticas da pele;
  • jasmim: para auxiliar no parto, aumento da libido e melhora da depressão;
  • limão: para auxiliar no processo digestivo, dores de cabeça e afins.

Descobertas

Ainda que tenha um amplo uso, há quem ainda desconheça a capacidade do óleo essencial no tratamento de diversas condições relacionadas à saúde. 

A seguir, estão algumas evidências sobre os efeitos positivos dessas substâncias quanto aos problemas de saúde e aromaterapia para tratamentos específicos.

Estresse e ansiedade

Há uma estimativa de que 43% daqueles que sofrem de ansiedade e também estresse fazem uso de terapias alternativas para auxiliar no alívio dos sintomas.

Quanto à aromaterapia, o estudo inicial foi bastante positivo.

Alguns apresentaram que o cheiro dos óleos essenciais pode atuar juntamente com terapias tradicionais para o tratamento do estresse e ansiedade.

A utilização dos óleos essenciais em massagens, também pode auxiliar no alívio do estresse, ainda que seus efeitos durem somente no momento da massagem.

Dores de cabeça e enxaquecas

Em meados dos anos 90, alguns estudos fizeram a descoberta da aplicação de um mix com óleo de hortelã-pimenta e etanol nas têmporas e testa fez o alívio das dores de cabeça. 

Pesquisas recentes também fizeram a observação da redução dos dores depois de aplicar na pele a hortelã-pimenta junto do óleo de lavanda.

Ainda, houve a sugestão de que aplicar uma mistura de óleo de gergelim e camomila pode atuar no tratamento positivo das dores de cabeça e enxaqueca.

Trata-se de um medicamento convencional para dores de cabeça.

Sono e insônia

O óleo de lavanda apresenta um cheiro que melhora a qualidade do sono, principalmente para mulheres que deram a luz recentemente, assim como quem tenha doenças cardíacas.

Um estudo específico fez o exame de 15 pesquisas sobre óleo essencial e o sono.

Grande parte delas apresentou efeitos muito positivos quanto ao momento de dormir e o hábito de cheirar o óleo de lavanda.

Reduz a inflamação

Houve também a sugestão de que o óleo essencial pode auxiliar efetivamente no combate de condições inflamatórias.

Estudos em tubo de ensaio apresentaram suas ações anti-inflamatórias.

Os estudos realizados em ratos descobriram que o consumo de tomilho e óleo essencial de orégano auxiliaram na indução da remissão de colite.

A pesquisa com o óleo de alcaravia e alecrim pode, ao mesmo tempo, encontrar resultados pertinentes.

Antibiótico e antimicrobiano

A disseminação de bactérias com resistência às substâncias antibióticas fez a renovação do interesse na busca de outras composições que podem promover o combate à infecção bacteriana.

Alguns estudos feitos em tubo de ensaio demonstraram que o óleo essencial como o de hortelã-pimenta, de forma extensiva às ações antimicrobianas, observaram resultados positivos.

Contraindicações

O óleo essencial é geralmente considerado muito seguro para o processo de inalação ou aplicação na pele, caso tenham a combinação com óleo base.

Não devem, porém, ser consumidos.

Quem apresenta condições de saúde problemáticas menores, é muito provável que o uso do óleo essencial como terapia complementar seja inofensivo. 

Contudo, se houver um problema de saúde grave ou o consumo habitual de medicamentos específicos, é preciso consultar um médico. 

Só o especialista que acompanha o caso patológico pode recomendar ou não o uso dos óleos essenciais.

Aromaterapia e óleo essencial

Como visto anteriormente, o óleo essencial é bastante relevante nas práticas de aromaterapia. 

Essa atividade pode resultar em uma qualidade de vida excelente, uma saúde melhor e um bem estar que realmente se destaca. 

Aliar os óleos essenciais à prática da aromaterapia pode ser bastante positivo não só para a saúde física, mas também mental, principalmente aos ansiosos, depressivos e estressados.

Qualquer prática que traga o mínimo resultado positivo possível é sempre uma excelente ideia de melhoria da saúde.

Mais textos relacionados
Óleo essencial de verbena

As propriedades do óleo essencial de cidrão são explicadas pela presença de compostos ativos originalmente disponíveis nas folhas e caules Read more

Óleo essencial de mirra

As propriedades do óleo essencial de mirra são explicadas pela presença de compostos ativos originalmente disponíveis na oleorresina de Commiphora Read more

Óleo essencial de hortelã

Menta ou Hortelã é como se chamam inúmeras espécies de plantas.  O óleo essencial, contudo, provém da hortelã-pimenta, que é Read more

Óleo essencial de lavanda e a beleza da pele

O óleo de lavanda provavelmente seja um dos mais usados no mundo e também um dos mais conhecidos. Há várias Read more